Marketing Político parte 3

Marketing Político Digital

Ao longo do mês de fevereiro vimos aqui no Blog como o Marketing Político Digital pode te ajudar a alavancar a sua campanha eleitoral, te aproximando do seu eleitorado e dando mais visibilidade para os seus projetos. Como falamos anteriormente, as redes sociais têm um grande peso. Alguns especialistas chegam a afirmar que o celular passou a ser a nova TV, e que é preciso utilizar as novas ferramentas da maneira correta.

Porém, pouco adianta dispender tempo e dinheiro em uma campanha de marketing digital, se o candidato não estiver preparado. O Professor e Treinador de Líderes Carlos Alberto Bittencourt reforça que a campanha deve começar o quanto antes, conhecendo a sua região e lideranças locais.

marketing-político

“Ser político e ser candidato são coisas diferentes. É preciso se colocar à disposição da comunidade, se posicionar como um representante dos interesses daquelas pessoas”, afirma Bittencourt, pontuando ainda que, fora do período determinado por lei, é preciso denominar-se como pré-candidato.

Leia também: Marketing Político: como preparar a sua campanha

O professor orienta que a primeira coisa a se fazer é o seu planejamento de campanha, consultar as bases, quem vai trabalhar com você, verificar se há consistência para os seus projetos, quem são os seus apoiadores.

Muitas lideranças surgem de movimentos estudantis, sindicatos associações de moradores e outras organizações. O importante é que o candidato se envolva, pois não há como conquistar um público de uma hora pra outra; é preciso conhecer e fazer parte das comunidades, para que elas te reconheçam nas redes sociais.

“Há uma avalanche de candidatos tentando conquistar a atenção das pessoas, então é preciso que a comunicação digital seja um complemento para evidenciar o que o candidato já faz, e para engajar o público, para fazer com que as pessoas falem por ele”, comenta o professor Bittencourt a respeito do uso do meio digital.

Marketing político, marketing

Para ele, inclusive, essa é uma questão que pode trazer muitas surpresas para os candidatos do pleito de 2020, pois haverá mudanças na lei eleitoral em relação ao que poderá e o que não poderá ser feito nas redes sociais. “Muitos candidatos serão surpreendidos, porque a maioria irá tentar atuar apenas por essa área”, afirma.

Entenda melhor lendo “Marketing Político parte 2 – marketing político digital”

Outra questão apontada por ele é a necessidade de compartilhar uma mensagem veloz e assertiva, pois o tempo é curto e a mensagem precisa capturar o público logo de início. Por isso, como o professor Bittencourt frisa, é essencial que você foque nas coisas mais importantes.

Procure falar sempre de si mesmo e não do outro. Não perca tempo falando mal do outro. Use o tempo para apresentar as suas propostas e conquistar pelo que você pode oferecer e não pelo que o outro deixou de oferecer. Evite mentiras, invenções, falar mal do concorrente ou da pessoa que está no cargo atualmente.

Vincule a sua imagem às causas que pretende defender e a figuras de influência dessas causas. Garanta que as pessoas lembrem de você quando pensarem no tema. E lembre-se sempre: o Brasil está em uma nova etapa, mais empolgada em ver mudanças na política. Quem propõe mudanças tem mais chances de captar a atenção dos eleitores.

Além disso, os jovens eleitores também estão mais engajados e preocupado com os rumos políticos do país, e por isso, os mais comunicativos ganham destaque na multidão de candidatos. E assim, contar com o auxílio de uma agência de marketing digital é vital para usufruir das ferramentas na web de forma correta e benéfica para a sua campanha.

Quer saber mais? Entre em contato e converse conosco!

Confira algumas dicas do Professor Bittencorut no vídeo abaixo:

Facebook: https://www.facebook.com/carlosalberto.bittencourt.123

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *