Marketing Político: como preparar a sua campanha

Marketing Político

O Marketing Político é um conjunto de técnicas e estratégias para ligar um político ao seu eleitorado. Ele tem o objetivo de criar um canal de comunicação entre o político/candidato com o seu público e ao mesmo tempo conquistar novos eleitores.

O marketing Político se divide em 3 tipos:

  1. Eleitoral: Realizado no período de campanha, para quem não possui mandato ou pretende se reeleger;
  2. Pós-eleitoral: Para quem já possui mandato. Visa manter a comunicação com o público fora do período eleitoral, a associar a imagem do político a uma boa administração;
  3. Partidário: Trabalha a imagem do partido como um todo, e não de um político específico.

No caso do marketing eleitoral é fundamental o planejamento estratégico antecipado. Existem regras e datas que precisam ser respeitadas segundo a lei, contudo, isso não impede que as ideias sejam trabalhadas muitos meses antes do início oficial das campanhas. Na realidade, quanto antes começar maior será a vantagem. Por isso, a pré-campanha é um momento crucial para criar uma reputação, alimentar bancos de dados, testar discursos e identificar os públicos.

Mas o que pode e o que não pode ser feito durante a pré-campanha?

  • Pode:
  1. Uso de redes sociais;
  2. Participação em programas de rádio, televisão e internet;
  3. Menção à pretensão em ser candidato;
  4. Exaltação às próprias qualidades.
  • Não pode:
  1. Ações proibidas em campanhas eleitorais de forma geral;
  2. Propaganda paga no rádio e televisão;
  3. Transmissão ao vivo de prévias partidárias em rádio e televisão;

urna-eletronica-andre-rodrigues-marketing politico

Entenda as demandas do eleitorado e foque na segmentação: Criação de listas, separando os eleitores por perfis para entregar mensagem correta. É preciso ter em mente que a proposta que contempla as necessidades do grupo A não necessariamente contemplarão as do grupo B ou C. Por exemplo, um grupo cuja principal demanda são problemas de infraestrutura, dificilmente irá se interessar por projetos em defesa dos animais. Dessa forma, é preciso utilizar o período de pré-campanha para estar muito próximo dos eleitores, construir uma relação positiva com eles, e separá-los de forma eficiente para entregar propostas que atendam às suas necessidades, ao invés de lança-las de forma aleatória. Saber o que os eleitores querem é fundamental. Realize pesquisas de opinião, converse com os eleitores e líderes comunitários, e descubra suas necessidades.

Defina a sua imagem, mote e marca: Durante a pré-campanha você precisa definir qual será o mote da sua campanha, ou seja, uma mensagem curta e direta que irá mostrar a ideia geral das suas ações. Por exemplo, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama utilizou a frase “Yes, we can” (Sim, nós podemos), enquanto e o seu sucessor, Donald Trump utilizou “Let’s make America great again” (Vamos fazer a América ótima de novo). No Brasil, um mote também teve grande impacto no público nas últimas eleições presidenciais. O atual presidente Jair Bolsonaro usou a frase “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, e a sua repercussão gerou um grande engajamento dos seus eleitores. Cada um desses motes revelou a imagem do candidato, sua marca, e conversavam diretamente com os interesses de seus eleitores.

marketing político

Monte suas estratégias pensando nas novas mídias: O antigo modo de fazer campanha já não funciona mais, porque o eleitor já não é o mesmo. A televisão perdeu muito espaço nos últimos anos, e muitas pessoas atualmente não assistem a mais nenhum programa de TV, enquanto outras assistem poucas vezes por semana e a programas específicos. Em lugar disso, a audiência está se voltando cada vez mais para os portais de notícia na internet, para as redes sociais e para o Youtube. Desconsiderar esses novos formatos e o novo comportamento do público no seu plano de campanha é diminuir deliberadamente as suas chances de sucesso.

As mídias sociais têm se tornado uma ferramenta poderosa durante o período eleitoral. Bolsonaro, Trump, e Obama são exemplos de políticos que fazem grande uso das redes sociais, especialmente o Twitter, que é uma mídia ideal para expressar opiniões de forma rápida e curta sobre diversos temas, além de estabelecer um contato direto com os eleitores.

Isso é o Marketing Político Digital, uma ferramenta que aproxima o candidato do eleitor, tanto no sentido de tornar-se conhecido por ele como para conhecê-lo e estar a par das demandas da agenda pública.

O Marketing Político Digital vai além de simples postagens nas redes sociais. Através dele, você pode fazer o uso estratégico de cada um dos recursos digitais, pensando no seu público, nas demandas dele, onde ele se encontra e como atingi-lo. Além disso, em 2018 as leis eleitorais passaram a permitir o impulsionamento de publicações de campanhas nas redes sociais. Assim, 2020 será o primeiro pleito com a possibilidade desse recurso.

Quer saber mais? Fique atento às nossas publicações ou entre em contato conosco para descobrir como fazer uma campanha eleitoral de sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *